O retrocesso conservador do Projeto “Escola sem Partido”: uma análise ancorada no pensamento de Antonio Gramsci

Autores

  • Simone de Fátima Flach Universidade Estadual de Ponta Grossa

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v19i42.3832

Palavras-chave:

Dor lombar, Idosos, Terapêutica.

Resumo

Este texto tem por objetivo discutir, a partir do pensamento de Antonio Gramsci, o Projeto de Lei nº 193/2016, denominado de “Escola sem Partido”, em tramitação no Senado Federal (PLS), e as possíveis implicações de sua aprovação para a educação brasileira. Para tanto, apresenta-se a origem e os pressupostos que orientam o Projeto de lei em confronto com alguns escritos do pensador sardo. Ao final, conclui-se que não existe neutralidade na proposta, visto que ela está comprometida com os interesses econômicos, políticos e religiosos que se fazem presentes no pensamento hegemônico que fundamenta a atual forma de sociabilidade.

Biografia do Autor

Simone de Fátima Flach, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos – USFCar. Docente do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG. Pós-Doutora em Educação – Universidade Tuiuti do Paraná – UTP.

Editora Adjunta da Revista Práxis Educativa – UEPG.

Membro do Corpo Editorial da Revista de Estudios Teóricos y Epistemológicos en Política Educativa – ReLePe em Revista.

 

Downloads

Publicado

2017-12-18

Como Citar

FLACH, S. de F. O retrocesso conservador do Projeto “Escola sem Partido”: uma análise ancorada no pensamento de Antonio Gramsci. Revista Pedagógica, [S. l.], v. 19, n. 42, p. 34–48, 2017. DOI: 10.22196/rp.v19i42.3832. Disponível em: http://pegasus.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/3832. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Apresentação do Dossiê