A decadência ideológica e a produção científica na Educação Física

Autores

  • Edson Marcelo Húngaro
  • Amanda Corrêa Patriarca
  • Sílvio Sanchez Gamboa Unicamp

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v19i40.3741

Resumo

Para entender o estado atual do desenvolvimento da ciência, é necessário compreender a ascensão e queda do pensamento burguês. Durante o período ascendente do pensamento burguês, foram desenvolvidas categorias importantes para o crescimento da ciência moderna, como o racionalismo, o humanismo e a preocupação com o método. No entanto, a burguesia, para consolidar seu poder, iniciou o processo de instrumentalização da ciência e da destruição da razão. Algumas teorias contemporâneas, como o pósestruturalismo, o neotecnicismo e a teoria pós-crítica, chamadas pós-modernas, servem a esses fins. A produção na Educação Física não está imune a essas influências e a esses conflitos. Somos testemunhas da “superficialidade” da ciência e do rigor metodológico. É necessário superar essas contradições para consolidar o campo científico da Educação Física e resgatar seu compromisso com a promoção do ser humano.

Publicado

2017-07-24

Edição

Seção

ARTIGOS