GOVERNANÇA PÚBLICA E SUSTENTABILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22277/rgo.v15i2.6591

Palavras-chave:

Governança Pública. Sustentabilidade. Instituições de ensino.

Resumo

Objetivo: Compreender como as práticas de governança estabelecidas pela unidade administrativa (Reitoria) influenciam na operacionalização das ações de sustentabilidade praticadas pelas unidades universitárias (Campi).

Método / abordagem: A presente pesquisa trata-se de um estudo de caso em que houve três fontes de dados: a) documentos (Plano de Desenvolvimento Institucional e o Plano de Gestão); b) Entrevistas com gestores da unidade administrativa, e c) entrevistas com gestores das unidades universitárias.

Principais resultados: Foi possível identificar 31 ações ligadas aos mecanismos de governança. Como exemplo, pode-se mencionar “monitoração e administração de aporte de recursos orçamentários para permanência estudantil”. Também foi possível identificar 23 ações de sustentabilidade. Como exemplos pode-se apresentar: a) parceria para eficiência energética;

b) internacionalização da pesquisa alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, e c) programa de inclusão.

Contribuições metodológicas / sociais / gerenciais: Do ponto de vista teórico, a presente pesquisa contribui no estudo da governança pública voltada para a sustentabilidade em instituição de ensino superior ao apresentar uma dificuldade da instituição de ensino de relacionar as ações de governança pública e sustentabilidade. A pesquisa também contribui para que os gestores de instituições de ensino reflitam sobre como as ações de governança e de sustentabilidade deveriam estar mais relacionadas e alinhadas.

Originalidade / relevância: A pesquisa apresenta uma discussão envolvendo os conceitos de governança pública e sustentabilidade. É um tema escasso sobretudo no que tange gestão de instituições de ensino.

Biografia do Autor

Leonardo Fabris Lugoboni, Unib e Unialfa

Doutor em Administração - Universidade de São Paulo

Professor do mestrado em administração da Universidade Ibirapuera

Professor do mestrado em administração do Centro Universitário Alvez Faria

Marcio Marques, Universidade Ibirapuera

Mestre em Administração pela Universidade Ibirapuera

Referências

Abadía, J. M. M., & González, C. L. (2002). Global Reporting Iniciative: contabilidad y sostenibilidad. Partida doble, (135), 80-87.

Adams, C., Muir, S., & Hoque, Z. (2014). Measurement of sustainability performance in the public sector. Sustainability Accounting, Management and Policy Journal, 5(1), 46-67. https://doi.org/10.1108/SAMPJ-08-2020-0277

Alshuwaikhat, H., Adenle, Y. A., & Saghir, B. (2016). Sustainability assessment of higher education institutions in Saudi Arabia. Sustainability, 8(8), 750. https://doi.org/10.3390/su8080750

Alves, L. E. S. (2001). Governança e cidadania empresarial. Revista de Administração de Empresas, 41(4), 78-86. https://doi.org/10.1590/S0034-75902001000400009

Bantanur, S., Mukherjee, M., & Shankar, R. (2015). Emerging dimensions of sustainability in institutes of higher education in India. International Journal of Sustainable Built Environment, 4(2), 323-329. https://doi.org/10.1016/j.ijsbe.2015.03.004

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo. Edições 70.

Barrett, P. (2002). Achieving better practice corporate governance in the public sector. International Quality & Productivity Centre Seminar. https://www.anao.gov.au/sites/default/files/Barrett_achieving_better_practice_corpo rate_governance_in_the_public_sector_2002.pdf

Batista, A. A. S., & Francisco, A. C. (2018). Organizational sustainability practices: a study of the firms listed by the corporate sustainability index. Sustainability, 10(1), 226. https://doi.org/10.3390/su10010226

Bratt, C., Hallstedt, S., Robèrt, K. H., Broman, G., & Oldmark, J. (2013). Assessment of criteria

development for public procurement from a strategic sustainability perspective.

Journal of Cleaner Production, 52, 309-316.

https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2013.02.007

Carson, R. (1962). Primavera silenciosa. Melhoramentos.

Cellard, A. (2008). A análise documental. In J. Poupart, J. P. Deslauries, L. H. Groulx, A. Laperriere, R. Mayer, & A. Pires, A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos (pp. 295-316). Vozes.

Choi, Y. J., Oh, M., Kang, J., & Lutzenhiser, L. (2017). Plans and living practices for the Green Campus of Portland State University. Sustainability, 9(2), 252. https://doi.org/10.3390/su9020252

RGO - Revista Gestão Organizacional, Chapecó, v. 15, n. 2, p. 64-83, maio/ago., 2022.

Leonardo Fabris Lugoboni e Marcio Marques

Daher, W. M., Oliveira, M. C., Cals, B. O., & Ponte, V. M. R. (2007). Responsabilidade social corporativa segundo o modelo de Hopkins: um estudo nas empresas do setor energético do nordeste brasileiro. Revista de Gestão social e ambiental, 1(1), 30-46.

Duarte, R. S., Khalil, R. O., & Quelhas, O. (2008). Governança: Uma ferramenta desconhecida

pelas instituições de ensino? Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.

SEGeT.

https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos07/1282_Artigo_Governanca_RicardoSep

erueloDuarte.pdf

Farinha, C., Caeiro, S., & Azeiteiro, U. (2019). Sustainability strategies in Portuguese higher education institutions: Commitments and practices from internal insights. Sustainability, 11(11), 3227. https://doi.org/10.3390/su11113227

Ferreira, D., Baidya, T. K., & Dalbem, M. C. (2018). Governança corporativa (GC) nas instituições de ensino superior: um mapeamento sistemático da produção científica nacional. Revista de Administração UFSM, 11(4), 772-792. https://doi.org/10.5902/1983465914195

Flick, U. (2013). Introdução à metodologia da pesquisa: Um guia para iniciantes. Penso.

Fontelles, M. J., Simões, M. G., Farias, S. H., & Fontelles, R. G. S. (2009). Metodologia da pesquisa científica: diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. Revista Paraense de Medicina, 23(3), 1-8.

Fuentes-Bargues, J. L., Ferrer-Gisbert, P. S., & González-Cruz, M. (2018). Analysis of Green Public Procurement of Works by Spanish Public Universities. International Journal of Environmental Research and Public Health, 15(9), 1888. https://doi.org/10.3390/ijerph15091888

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.). Atlas.

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa – IBGC. (2016). Código das melhores práticas

de governança corporativa (5. ed.). IBGC.

https://conhecimento.ibgc.org.br/Lists/Publicacoes/Attachments/21138/Publicacao-

IBGCCodigo-CodigodasMelhoresPraticasdeGC-5aEdicao.pdf

International Federation of Accountants – IFAC (2001). Governance in the Public Sector: A

governing body perspective. IFAC.

https://www.ifac.org/system/files/publications/files/study-13-governance-in-th.pdf

Jo, H., & Harjoto, M. A. (2012). The causal effect of corporate governance on corporate social responsibility. Journal of Business Ethics, 106(1), 53-72. https://doi.org/10.1007/s10551-011-1052-1

RGO - Revista Gestão Organizacional, Chapecó, v. 15, n. 2, p. 64-83, maio/ago., 2022.

Governança pública e sustentabilidade em instituições de ensino

Kraemer, M. E. P. (2004). A universidade do século XXI rumo ao desenvolvimento sustentável. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, 3(2), 1-21. https://doi.org/10.5329/RECADM.20040302006

Leal Filho, W., Salvia, A. L., Frankenberger, F., Akib, N. A. M., Sen, S. K., Sivapalan, S., Novo-Corti, I., Venkatesan, M., & Emblen-Perry, K. (2020). Governance and sustainable development at higher education institutions. Environment, Development and Sustainability. https://doi.org/10.1007/s10668-020-00859-y

Lemos, P. F. I., Brando, F. R., Almeida, P., Mülfarth, R. C. K., Aprilanti, T. M. G., Marques, L. O.

A., Jorge, N. L., & Malheiros, T. F. (2018). The University of São Paulo on the 2017‘s

GreenMetric Ranking. E3S Web Conf, 48.

https://doi.org/10.1051/e3sconf/20184802003

Lindsey, T. C. (2011). Sustainable principles: common values for achieving sustainability. Journal of Cleaner Production, 19(5), 561-565. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2010.10.014

Mahmood, Z., Kouser, R., Ali, W., & Ahmad, Z. (2018). Does corporate governance affect sustainability disclosure? A mixed methods study. Sustainability, 10(1), 207. https://doi.org/10.3390/su10010207

Mainardes, E. W., Deschamps, M., & Tontini, G. (2009). Percepções dos stakeholders sobre a qualidade de uma instituição de ensino superior. RECADM, 8(1), 90-105. https://doi.org/10.5329/RECADM.20090801007

Marques, M. C. C. (2007). Aplicação dos princípios da governança corporativa ao sector público. Revista de Administração Contemporânea, 11(2), 11-26. https://doi.org/10.1590/S1415-65552007000200002

Martins, V. W. B., Anholon, R., Quelhas, O. L. G., & Leal Filho, W. (2019). Sustainable practices in logistics systems: An overview of companies in Brazil. Sustainability, 11(15), 4140.

Matias-Pereira, J. (2004). Reforma do estado, transparência e democracia no Brasil. Revista Académica de Economia, 26, 1-34. https://doi.org/10.3390/su11154140

Meadowcroft, J., Farrell, K. N., & Spangenberg, J. (2005). Developing a framework for sustainability governance in the European Union. International Journal of Sustainable Development, 8(1-2), 3-11. https://doi.org/10.1504/IJSD.2005.007371

Mello, G. R. D. (2006). Governança corporativa no setor público federal brasileiro [Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo]. Repositório da Universidade de São Paulo. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-28072006-093658/pt-br.php

RGO - Revista Gestão Organizacional, Chapecó, v. 15, n. 2, p. 64-83, maio/ago., 2022.

Leonardo Fabris Lugoboni e Marcio Marques

Monyoncho, R. M. (2015). Perception of corporate governance practices at the University of Nairobi. DBA Africa management review, 5(1), 94-112.

Naime, R., & Bauer, M. (2012). Estado da arte da evidenciação social e ambiental voluntária. Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade, 2(2), 39-60. https://doi.org/10.18696/reunir.v2i2.72

Nawaz, W., & Koç, M. (2019). Exploring organizational sustainability: Themes, functional areas, and best practices. Sustainability, 11(16): 4307. https://doi.org/10.3390/su11164307

Nogueira, M. G. S.; Garcia, T. E. M., & Ramos, M. G. G. (2012). Governança corporativa, responsabilidade social corporativa: a visão de atores de uma Instituição de Ensino Superior – IES Federal. Revista GUAL, 5(3), 222-244. https://doi.org/10.5007/1983-4535.2012v5n3p222

Organização das Nações Unidas – ONU. (2019). Rede ODS Universidades. https://nacoesunidas.org/pnud-e-universidades-brasileiras-lancam-rede-para-promover-objetivos-globais

Roczanski, C. R. M., & Tomasi, M. (2010). Universidade pública e accountability. Anais do III Congresso Consad de Gestão Pública. Consad. http://repositorio.fjp.mg.gov.br/handle/123456789/481

Rossetti, J. P., & Andrade, A. (2012). Governança corporativa: Fundamentos, desenvolvimento e tendências. Atlas.

Santos, A. P. (2008). Governança corporativa e desempenho em instituições privadas de ensino superior: um estudo de caso em Minas Gerais. Revista de Contabilidade da UFBA, 2(3), 79-94. https://doi.org/10.9771/rc-ufba.v2i3.3269

Sethibe, T., Campbell, J., & McDonald, C. (2007). IT governance in public and private sector

organisations: examining the differences and defining future research directions. ACIS

Proceedings.

https://aisel.aisnet.org/cgi/viewcontent.cgi?article=1092&context=acis2007

Stake, R. E. (1995). The art of case study research. Sage.

Trakman, L. (2008). Modelling university governance. Higher Education Quarterly, 62(1-2), 63-83. https://doi.org/10.1111/j.1468-2273.2008.00384.x

Tremblay, M. A. (1968). Initiation à la recherche dans les sciences humaines. McGraw-Hill.

Van Marrewijk, M. (2003). Concepts and definitions of CSR and corporate sustainability: Between agency and communion. Journal of Business Ethics, 44(2-3), 95-105. https://doi.org/10.1023/A:1023331212247

RGO - Revista Gestão Organizacional, Chapecó, v. 15, n. 2, p. 64-83, maio/ago., 2022.

Governança pública e sustentabilidade em instituições de ensino

Vieira, V. B. H. A., & Silva, E. D. (2016). Governança corporativa aplicada ao contexto das universidades federais: A produção científica brasileira. Anais do V Simpósio Internacional de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade. https://singep.org.br/5singep/resultado/267.pdf

Weber, J., & Marley, K. A. (2012). In search of stakeholder salience: Exploring corporate social and sustainability reports. Business & Society, 51(4), 626-649. https://doi.org/10.1177/0007650309353061

Weiss, R. S. (1995). Learning from strangers: The art and method of qualitative interview studies. Simon and Schuster.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: Planejamento e métodos (2a ed.). Bookman.

Publicado

2022-04-01