RACIONALIDADES E AMBIVALÊNCIAS DA GESTÃO CULTURAL

Autores

  • Adriana Almeida do Carmo Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS). http://orcid.org/0000-0002-8398-2198
  • CLÁUDIA Aparecida Avelar Ferreira Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS). http://orcid.org/0000-0002-8802-1716
  • Armindo dos Santos de Sousa Teodósio Professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração (PPGA) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). http://orcid.org/0000-0002-7835-5851

DOI:

https://doi.org/10.22277/rgo.v13i3.5245

Palavras-chave:

Responsabilidade Fiscal, Gestão Pública, Transparência, Controle Social, Planejamento Orçamentário

Resumo

O objetivo do estudo foi trazer apontamentos e reflexões acerca da gestão cultural a partir das racionalidades e seus paradoxos, vivenciados por um gestor cultural através da autoetnografia. Na gestão cultural há prevalência da racionalidade substantiva, entretanto, não se pode negar a importância das demais racionalidades: comunicativa e instrumental, para atingimento dos objetivos propostos. O estudo traz as ambivalências a que o gestor do campo da cultura está submetido e subordinado (ambiente externo) e demais complexidades da área, como a prestação de contas e enfatiza como a memória é substancial para a utilização dessa metodologia. O estudo aponta, também, a importância da cultura nos territórios periféricos.

Biografia do Autor

Adriana Almeida do Carmo, Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS).

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Administração da PUC Minas e pesquisadora no Núcleo de Pesquisas em Ética e Gestão Social (NUPEGS) do PPGA. Mestre em Gestão Social, Desenvolvimento local e Educação pelo Centro Universitário UNA (2013). MBA em Marketing e Inteligência de Mercado (2011), Pós-graduação em Gestão Cultural (2008), e graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2007). Atua desde de 2001 como gestora cultural, produtora e professora. Amplo interesse pelas causas socioambientais e pela cultura; visão estratégica e sistêmica sobre práticas de sustentabilidade; habilidade de comunicação e influência, com grande interação em projetos com comunidades, entidades de classe, parceiros culturais, artistas, representantes de governo. Boa interface e relacionamento com as áreas internas da organização, colaboradores e sócios das diversas áreas e diversos níveis hierárquicos; capacidade de liderança e gestão de pessoas; atenta as boas práticas de governança, especialmente compliance; habilidade em negociação; determinação no atingimento de objetivos e metas.

CLÁUDIA Aparecida Avelar Ferreira, Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS).

Doutoranda em administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS). Linha de pesquisa: Pessoas, Trabalho e Sociedade: Diversidade nas organizações. Grupo de Pesquisa GEDI- Grupo de Estudos de Gestão, Diversidade e Inclusão, Pesquisadora da PUC MINAS.Possui graduação em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Minas Gerais (1989) no curso de farmácia e bioquímica. Tem especialização em administração de serviços de saúde e saúde pública (UNAERP), MBA em Gestão de Organizações Hospitalares e Serviços de saúde (FGV) e Assistência Farmacêutica no SUS(UFSC). Foi analista de gestão e farmacêutica da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais.Mestre em Administração pelo Centro Universitário UNA .Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em administração ,interação medicamentosa e pesquisa.Supervisora de estágio curricular e não curricular.Pesquisadora da FUMEC (parceria). Cursou disciplinas isoladas do doutorado na FUMEC e internacionalização de 32 hs na UADE Business Scholl - Buenos Aires/Argentina e 40 horas no ISEG - Lisbon School of Economics and Management - Portugal.Pesquisadora na área de estudos organizacionais, administração e na área da saúde.

Armindo dos Santos de Sousa Teodósio, Professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração (PPGA) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).

Professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração (PPGA) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Pesquisador das áreas de Gestão Social e Ambiental, Políticas Públicas e Estudos Organizacionais. Líder do Núcleo de Pesquisas em Ética e Gestão Social (NUPEGS) do PPGA da PUC Minas. Seus interesses de pesquisa concentram-se em Organizações da Sociedade Civil, Movimentos Sociais, Responsabilidade Socioambiental de Empresas, Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável. Doutor em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Mestre em Ciências Sociais (Gestão de Cidades) pela PUC Minas e Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Desenvolve seu Pós-Doutoramento no Programa de Ciências Ambientais (PROCAM) do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da Universidade de São Paulo (USP), estudando a relação de organizações dos catadores de materiais recicláveis com atores do Estado, mercado e sociedade civil na governança urbana.

Publicado

2020-08-03

Edição

Seção

Artigos