O LETRAMENTO LITERÁRIO NAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS: vozes de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v24i1.6821

Palavras-chave:

Práticas pedagógicas, Formação de leitores, Letramento literário

Resumo

O presente artigo apresenta resultados de uma pesquisa que teve como objetivo compreender como se dão as práticas pedagógicas utilizadas nas atividades de letramento literário de 12 professores de Língua Portuguesa no Ensino Fundamental de escolas públicas de uma cidade catarinense com vistas à formação de leitores através de literatura infantil juvenil. Tendo em mente as concepções sobre letramento literário propostas por Coelho (2009), Cosson (2014, 2017 e 2020), Cagneti e Lira (2018) e Soares (2012), a análise realizada a partir dos relatos dos Professores permitiu-nos conhecer parte da rotina docente considerando o trabalho realizado com a leitura formativa em sala de aula, por meio de práticas do letramento literário. A pesquisa é de ordem qualitativa (GONÇALVES et al., 2011) e a geração de dados se deu por meio de entrevistas semiestruturadas com doze Professores que atuam no 9º ano da Rede Estadual de Joinville-SC (LÜDKE; ANDRÉ, 2014). A análise dos dados foi realizada a partir dos pressupostos metodológicos da Análise de Conteúdo (BARDIN, 2016). Os resultados demonstram a importância da escuta da voz dos Professores para a compreensão das rotinas docentes e como elas colaboram para a formação do leitor literário.

Biografia do Autor

Sandro Everton Nascimento , Universidade da Região de Joinville - UNIVILLE

Mestre em Educação pela Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). Professor de Literatura Infantil na rede estadual de Santa Catarina.

Berenice Rocha Zabbot Garcia , Universidade da Região de Joinville UNIVILLE

Doutora em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Professora Titular do Curso de Letras e da Pós-graduação em Educação na Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). Coordenadora do Projeto Institucional de Literatura Infantil Juvenil, PROLIJ/ UNIVILLE.

Rosana Mara Koerner , Universidade da Região de Joinville UNIVILLE

Doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas. Professora Titular do Cursos de Letras e Pedagogia, e da Pós-graduação em Educação na Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE).

Referências

ANDRÉ, Marli. Pesquisa em Educação: buscando rigor e qualidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 113, p. 51-64, jul. 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-15742001000200003. Acesso em: 10 set. 2021.

ANDRUETTO, Maria Teresa. A Leitura, outra revolução. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2017.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

CAGNETI, Sueli de Souza; LIRA, Áurea Rocha. Basta ler para ser Leitor? São Paulo: Paulinas, 2018.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: Teoria, Análise e Didática. São Paulo: Moderna, 2009.

COSSON, Rildo. Letramentos Literários: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2014.

COSSON, Rildo. Círculos de Leitura e Letramento Literário. São Paulo: Contexto, 2017.

COSSON, Rildo. Paradigmas do Ensino da Literatura. São Paulo: Contexto, 2020.

GATTI, Bernadete A. Formação de Professores: Condições e Problemas Atuais. Revista Internacional de Formação de Professores (RIFP), Itapetininga, v. 1, n. 2, p. 161-171, 2016. Disponível em: https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/article/view/347. Acesso em: 10 jan. 2021.

GONÇALVES, Mônica Lopes et al. Fazendo pesquisa: do projeto à comunicação científica. 3. ed. Joinville: Editora da UNIVILLE, 2011.

KANASHIRO, Josilene de Paiva; FRANCO, Sandra Aparecida Pires; SILVA, Katia Andrade Inez. O Ensino da leitura literária na perspectiva histórico-cultural. X ANPED SUL, Florianópolis, p. 1-13, out. 2014. Disponível em: http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/987-1.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

LAJOLO, Marisa. O texto não é pretexto. In: ZILBERMAN, Regina (org.). Leitura em Crise na Escola: as alternativas do professor. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993. p. 51-62.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2014.

MARINHO, Marildes; SILVA, Ceris Salete Ribas da. Leituras do professor. Campinas: Mercado de Letras/Associação de Leitura do Brasil – ALB, 1998.

MINAYO, Maria Cecília de S. O desafio do conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco, 2010.

PAULINO, Graça. Formação de leitores: a questão dos cânones literários. Revista Portuguesa de Educação, v. 17, n. 1, p. 47-62, 2004. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/374/37417104.pdf. Acesso em: 19 jan. 2020.

PAULINO, Graça. Das leituras ao letramento literário. Belo Horizonte: FaE/UFMG e Pelotas-RS: EDGUFPEL, 2010.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2017.

POSSAMAI, Leusa Fátima Lucatelli. Alfabetizar letrando com sentido e significado para a vida dos educandos. Revista Pedagógica UNOCHAPECÓ, Chapecó, v. 15, n. 30, p. 621-648, jan./jun. 2013. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/1585. Acesso em: 10 nov. 2021.

PROGRAMA Nacional Biblioteca da Escola – PNBE. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/programa-nacional-biblioteca-da-escola. Acesso em: 10 fev. 2020.

SILVA, Vera Maria Tieztmann. Literatura Infantil Brasileira: um guia para professores e promotores de leitura. Goiânia: Cânone Editorial, 2009.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

VYGOTSKY, Lev Semyonovich. A formação social da mente. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1996.

ZILBERMAN, Regina (org.). Leitura em crise na escola: as alternativas do professor. 10. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.

Publicado

2022-06-17

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua