CINEMA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: PRÁTICAS E DISCUSSÕES SOBRE SAÚDE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v24i1.6770

Palavras-chave:

Filmes;, Educação e Saúde;, Formação de Professores;

Resumo

O texto apresenta como temática o uso do cinema no ensino. Essa pesquisa objetivou analisar a utilização do cinema nos processos formativos de professores, com enfoque na temática saúde, nas dissertações e teses produzidas na pós-graduação brasileira. Para tanto, realizamos uma investigação do tipo estado do conhecimento na plataforma Biblioteca Digital Brasileira de Dissertações e Teses (BDTD). O corpus de pesquisa foi composto por 12 trabalhos, sendo 5 teses e 7 dissertações. A partir da análise de conteúdo emergiram duas categorias: i) cinema como ferramenta pedagógica na formação de professores, a qual discorre sobre o processo formativo e a utilização do cinema como metodologia didática no ensino para debater diferentes assuntos; e, ii) ensino de ciência e a utilização do cinema na discussão do tema saúde, diretamente ligada ao uso do cinema em sala de aula e ambientes formativos na discussão do tema saúde. Ainda são recentes as pesquisas que tratam dos filmes para o trabalho com as questões de saúde. Cabe destacar que o uso do cinema no ensino oportuniza a aprendizagem, quando proposto pelo viés investigativo.

Biografia do Autor

Eloisa da Silva Pauletti, UFFS

Licenciada em Ciências Biológicas, Mestranda em Ensino de Ciências do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências (PPGEC), da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Cerro Largo.

Eliane Gonçalves dos Santos, UFFS

Doutora em Educação nas Ciências, Docente do Curso de Ciências Biológicas – Licenciatura e do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências (PPGEC) da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Cerro Largo

Referências

BARCA, Lacy. As múltiplas imagens do cientista no cinema. Comunicação & Educação, v. 10, n. 1, p. 31-39, 2005. DOI: 10.11606/issn.2316-9125.v10i1p31-39. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/37507. Acesso em: 19 jul. 2021.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos – apresentação dos temas transversais. Brasília/DF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília/DF, 2018.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Uma metodologia de pesquisa para estudar os processos de ensino e aprendizagem em salas de aula. In: SANTOS, F. M. T. dos; GRECA, I. M. A pesquisa em ensino de ciências no Brasil e suas metodologias. 2. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2011. p. 12-47.

CASTRO, Cilmar Santos de. O cinema de ficção científica para além das fronteiras disciplinares: construindo saberes interconectados em práticas docentes. 2018. 284 p. Tese (Doutorado em Ciências) – Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/37720/2/cilmar_castro_ioc_dout_2018.pdf. Acesso em: 6 jul. 2021.

CHASSOT, Aticco. Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. Ijuí: Ed. Unijuí, 2003.

CIELO, Fernanda; OLIVEIRA, Valeska Fortes de. Educação e Cinema / Education and Cinema. Revista Pedagógica, v. 15, n. 30, p. 615, 21 ago. 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.22196/rp.v15i30.1584.

CHIESA BARTELMEBS, R.; VENTURI, T.; DE SOUSA, R. Pandemia, negacionismo científico, pós-verdade: contribuições da Pós-Graduação em Educação em Ciências na Formação de Professores. Revista Insignare Scientia – RIS, v. 4, n. 5, p. 64-85, 20 ago. 2021. Disponível em: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/12564. Acesso em: 6 jul. 2021.

DAVID, Mariano Gazineu; CORRÊA , Mônica Ferreira. As diversas faces da dúvida – ceticismo, negacionismo e confiança nas ciências. Em Construção – Arquivos de Epistemologia Histórica e Estudos de Ciências, Rio de Janeiro, ano 2020, ed. 8, p. 158-172, 11 dez. 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/emconstrucao/article/view/54268/36084. Acesso em: 28 jun. 2021.

DUNCUM, Paul. Por que a arte-educação precisa mudar e o que podemos fazer. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene. Educação da Cultura Visual: conceitos e contextos. Santa Maria, RS: Ed. da UFSM, 2011.

FERREIRA, Marcos Ramon Gomes. Projeto cinema e filosofia na escola. 2010. Disponível em: http://blogdocolun.blogspot.com/2008/08/projeto-cinema-e-filosofia-na-escola.html. Acesso em: 4 jul. 2021.

GIORDAN, Marcelo. Computadores e linguagens nas aulas de ciências: uma perspectiva sociocultural para compreender a construção de significados. Ijuí: Ed. Unijuí, 2008.

GIL PÉREZ, Daniel; FERNÁNDEZ, Isabel; CARRASCOSA, Jaime; PRAIA, João; CACHAPUZ, Antonio. Para uma imagem não deformada de ciência. Ciência & Educação, v. 7, n. 2, p. 125- 153, 2001.

GÜLLICH, Roque Ismael da Costa. Investigação-Formação-Ação em Ciências: um caminho para reconstruir a relação entre livro didático, o professor e o ensino. Curitiba: Editora Appris, 2013.

HAZEN, Robert M.; TREFIL, James. Saber Ciências. São Paulo: Editora de Cultura, 2005.

KRASILCHIK, Myriam. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, n. 1, jan./mar. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/spp/v14n1/9805.pdf. Acesso em: 12 jul. 2021.

LARRUSCAIN, Ida Ourica dos Santos; OLIVEIRA, Maria Angélica Figueiredo. O cinema como ferramenta de auxílio no processo ensino-aprendizagem. Coleção de trabalhos de Conclusão do Curso de Especialização em Mídias na Educação – EaD. O Manancial – Repositório Digital da UFSM. Santana do Livramento/RS, 2011. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/2576. Acesso em: 12 jul. 2021.

LIMA, Daniel Rodrigues de. Cinema e História: o filme como recurso didático no ensino/aprendizagem da história. Disponível em: http://www.historialivre.com/revistahistoriador/sete/7daniel.pdf. Acesso em: 2 jun. 2021.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2013.

MARTINI, Jussara Perreira. Hanseníase – estigmas e preconceitos: uma temática para ser abordada nas escolas de ensino fundamental e médio. 1999. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 1999.

METZ, Christian. A significação no cinema. São Paulo: Perspectiva, 2012.

MOHR, Adriana. A natureza da educação e saúde no Ensino Fundamental e os professores de ciências. 2002. 409 f. Tese. (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

MOHR, Adriana; SCHALL, Virgínia Torres. Rumos da educação em saúde no Brasil e sua relação com a educação ambiental. Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 199-203, abr./jun. 1992.

MORAN, José Manoel. O vídeo na sala de aula. Comunicação e educação, São Paulo, 2009. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36131. Acesso em: 1º maio. 2021.

MORIN, Edgar. O cinema ou o homem imaginário. São Paulo: É Realizações, 2014.

MOROSINI, M. C.; FERNANDES, C. M. B. Estado do Conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação Por Escrito, v. 5, n. 2, p. 154-164, 13 out. 2014.

NAPOLITANO, Marcos. Como usar o cinema na sala de aula. 4. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2009.

NAPOLITANO, Marcos. Como usar o cinema na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2003.

LIMA, Daniel Rodrigues de. Cinema e História: o filme como recurso didático no ensino/aprendizagem da história. Disponível em < http://www.historialivre.com/revistahistoriador/sete/7daniel.pdf>. Acessado em 17.01.2021

OLIVEIRA, Bernardo Jefferson de. Cinema e imaginário científico. Revista História, Ciências, Saúde Manguinhos, v. 13, p. 133-150, 2006.

OLIVEIRA, Silmara Sartoreto; GUERREIRO, Lariza Borges; BONFIM, Patrícia Mendes. Educação para a saúde: a doença como conteúdo nas aulas de ciências. História, Ciências, Saúde Manguinhos, [S.L.], v. 14, n. 4, p. 1.313-1.328, dez. 2007. Fapunifesp (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-59702007000400011. Acesso em: 12 maio. 2021.

PORTO, Mayla Yara. Uma revolta popular contra a vacinação. Cienc. Cult., São Paulo, v. 55, n. 1, p. 53-54, jan./mar. 2003.

RUDEK, Karine; SANTOS, Eliane Gonçalves dos; HERMEL, Erica do Espirito Santo. Análise fílmica de “Preciosa” e “Maus hábitos”: possíveis discussões de saúde no ensino de ciência. Educação e linguagem, São Paulo, v. 2, n. 2, 2019. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/EL/article/view/9889. Acesso em: 26 jul. 2021.

SANTOS, Eliane Gonçalves dos. A educação em saúde nos processos formativos de professores de ciências da natureza mediada por filmes. Ijuí: Ed. Unijuí, 2018.

SANTOS, Eliane Gonçalves dos; ARAÚJO, Maria Cristina de Pansera. Implicações de um processo formativo de professores mediado por filmes, na constituição de uma visão ampliada de Saúde. Revista Insignare Scientia – RIS, v. 3, n. 5, p. 517-539, 18 dez. 2020.

SILVA, Josineide Alves. Cinema e educação: o uso de filmes na escola. Revista Intersaberes, v. 9, n. 18, p. 361-373, jul.-dez. 2014.

SILVA, Tarcízio. Os filmes infantis e a aprendizagem de ciências na sala de aula. In: SANTOS, L. H. S. (org.). Biologia dentro e fora da escola: meio ambiente, estudos culturais e outras questões. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2003. p. 55-68.

SILVA, Veruska Anacirema Santos da. Memória e cultura: cinema e aprendizado de cineclubistas baianos dos anos 1950. 2010. Dissertação (Mestrado em Memória, Linguagem e Sociedade) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, 2010.

SILVEIRA, Priscila Maia Braz. A utilização do cinema no ensino de ciências sob a perspectiva CTS: desafios e dificuldades na formação inicial de professores. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) – Universidade de Brasilia – UNB, 2016.

SOARES, Luiz Paulo da Silva; CHAIGAR, Vânia Alves Martins. A mídia cinemática sob a ótica docente: um estudo sobre o ensino de História na cidade do Rio Grande/RS. Revista Diálogo Educacional, v. 19, n. 63, p. 1.596-1.615, dez. 2019. ISSN 1981-416X. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/24831. Acesso em: 26 jul. 2021.

VASCONCELOS, Eymard Mourão. O taylorismo e a construção da medicina das classes populares. Serviço Social e Sociedade. V1, n6 São Paulo, 1998.

VENTURA COSTA, L.; VENTURI, T. Metodologias Ativas no Ensino de Ciências e Biologia: compreendendo as produções da última década. Revista Insignare Scientia – RIS, v. 4, n. 6, p. 417-436, 8 out. 2021. Disponível em: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/12393. Acesso em: 6 jul. 2021.

Publicado

2022-06-17

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua