AS DIFERENTES LINGUAGENS DA CRIANÇA NA CRECHE:

análise das narrativas de uma professora

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v24i1.6562

Palavras-chave:

Educação infantil. Creche. Linguagens. Narrativas. Brincadeira.

Resumo

Este artigo analisa, a partir das narrativas escritas por uma professora de creche, as diferentes linguagens pelas quais se expressam as crianças de 3 anos e suas relações com o desenvolvimento infantil na primeira infância. Caracteriza-se como pesquisa qualitativa (2019-2020), de caráter exploratório, tendo como instrumento de investigação duas narrativas escritas por uma professora de uma creche da rede de Educação Infantil de Tubarão (SC).  A pesquisa baseou-se em estudos na perspectiva histórico-cultural e em autores que discutem a infância, as linguagens da criança e o desenvolvimento infantil. Os resultados evidenciaram que as diferentes linguagens da criança parecem pouco experenciadas na creche, não se estabelecendo relação entre elas e o desenvolvimento infantil. Conclui-se que para o desenvolvimento pleno da criança, na primeira infância, as linguagens precisam ser trabalhadas em suas especificidades, de acordo com suas necessidades, e respeitando suas singularidades. A escola de Educação Infantil, por meio de atividades intencionalmente planejadas, deve garantir as diferentes linguagens como mediadoras da criança no processo de conhecer o mundo, o outro e a si mesma, condições para seu desenvolvimento.

Biografia do Autor

Ana Maria Esteves Bortolanza, (48)991909978

Doutora em Educação. Docente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Sul de Santa Catarina. Líder do grupo de Estudos e Pesquisa Relações Linguagem, Cultura e Estética. e-mail: amebortolanza@uol.com.br

Letícia Cardozo Oening, Secretaria de Educação de Tubarão

Graduação em Pedagogia pela Universidade do Sul de Santa Catarina. Professora da Rede de Educação Infantil de Tubarão, SC. E-mail: ticiatb@hotmail.com

Referências

BAJARD, Elie. O que nos ensinam as crianças de três anos. Direcional Educador (Impresso), v. 1, p. 12-15, 2013.

BECCHI, Egle. Os personagens da creche. In: BECCHI et. al. Ideias orientadoras para a creche: a qualidade negociada. São Paulo: Autores Associados, 2012. 62 p.

BECCHI et. al. Ideias orientadoras para a creche: a qualidade negociada. São Paulo: Autores Associados, 2012. 62 p.

BIATO, Emília Carvalho Leitão. Contribuições da perspectiva histórico-cultural à compreensão do desenvolvimento da linguagem escrita na infância. Revista Pedagógica, v. 8, n. 16, p. 1-18, jan./jun. 2006.

BORTOLANZA, Ana Maria Esteves. O papel da linguagem no desenvolvimento infantil: Implicações dos estudos de Liev Semiónovitch Vygotski. Eutomia, Recife, v. 1, n.19, p. 100-120, jul., 2017.

BORTOLANZA, Ana Maria Esteves; FREIRE, Renata Teixeira Junqueira Freire. Educação Infantil e a Base Nacional Comum Curricular: Concepções de criança, desenvolvimento e currículo. Série-Estudos, Campo Grande, v. 23, n. 49, p. 67-96, set./dez. 2018.

COSTA, Josilene Pereira da; SANTOS, Lindalva Pessoni. As múltiplas linguagens e a organização do trabalho pedagógico na educação infantil. VI Semana de Integração. Anais. VI Semana de Integração Inhumas: UEG, 2017.

EDWARDS, Carolin; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artmed, 2002. Disponível em: https://www.amazon.com.br/As-Cem-Linguagens-Crian%C3%A7a-Abordagem-ebook/dp/B073RQ9QM9. Acesso em 19 maio 2020.

GODOI, Elisandra Girardelli. Bambini: a abordagem italiana à educação infantil. Pro-Posições. v. 14, n. 2, p. 225–230, maio/ago. 2003.

GOELZER, Juliana; LOFFLER, Daliana. E se o chapéu da Chapeuzinho não fosse vermelho? Um olhar sobre as linguagens infantis. In: CANCIAN, Viviane Ache; GALLINA, Simone Freitas da Silva; WESCHENFELDER, Noeli Valentina. Pedagogias das infâncias, crianças e docências na educação infantil. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica, p. 227-239, 2016.

LIMA, Elieuza Aparecida de; VALIENGO, Amanda; RIBEIRO, Aline Escobar Magalhães. Teoria Histórico-Cultural e desenvolvimento da percepção: Fundamentos para a Educação de Crianças. Revista Teoria e Prática da Educação. Maringá, v.17, n. 3, p. 25-36, set. dez. 2014.

LIMA, Maria Emília Caixeta de Castro; GERALDI, Corinta Maria Grisolia; GERALDI, João Wanderley. O trabalho com narrativas na investigação em educação. Educação em Revista, v. 31. n. 01. p. 17-41, Belo Horizonte. jan-mar 2015.

MELLO, Suely Amaral. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 1, 57-82, jan./jun. 2007. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/viewFile/.../ Acesso em: 25 mai. 2013.

MELLO, Suely Amaral. Letramento e alfabetização na Educação Infantil, ou melhor, formação da atitude leitora e produtora de textos nas crianças pequenas. In: VAZ, A. F.; MONN. C. M. (orgs). Educação infantil e sociedade: questões contemporâneas. Nova Petrópolis: Nova Harmonia, p. 75-87, 2012.

MUKHINA, Valeria. Psicologia da idade pré-escolar. São Paulo: Martins Fontes, 1996, 312p.

NOGARO, Arnaldo. Diálogos com Reggio Emilia: escutar, investigar e aprender. Perspectiva, Erechim. v.37, n.140, p. 153-155, dez. 2013.

SALLES, Fátima; FARIA, Vitória. Currículo na Educação Infantil: diálogo com os demais elementos da proposta pedagógica. 2. ed. São Paulo: Ática, 2012, 248 p.

SILVA, José Ricardo; LIMA, José Milton Contribuições da teoria da atividade de Leontiev para o trabalho com bebês na creche. Textura, v. 18, n.36, p. 189-200, jan./abr. 2016.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. Obras Escogidas, tomo III. Madri: Visor, 2000. 383 p.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. Obras Escogidas, tomo II. Madri: Visor, 2001. 484 p.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. Obras Escogidas, tomo IV. Madri: Visor, 2006, 427 p.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais, n. 8, jun. 2008. Disponível em:

http://www.ltds.ufrj.br/gis/anteriores. Acesso em: 04 out. 2013.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2010, 496 p.

Publicado

2021-12-07

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua