O discurso falacioso do movimento Escola Sem Partido

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v19i42.4011

Resumo

A democracia brasileira adentrou o século XXI fortalecida pela eleição de um governo de origem operária. Neste período, conquistas de direitos estabelecidas na Constituição de 1988 foram ratificadas. Tal governo foi reconduzido em 2014 através de processo eleitoral democrático e legítimo. Desde então, ataques engendrados pela direita conservadora e lideranças políticas, culminaram na deposição da presidente Dilma Roussef, através de um golpe parlamentar. Rompida a ordem democrática, o ilegítimo presidente Michel Temer foi empossado. Durante este processo, direitos conquistados na constituinte de 1988 sofreram ataques, por meio de reformas propostas pelo governo ilegítimo. O presente texto busca desmascarar o discurso falacioso do movimento Escola Sem Partido, que ganhou força neste cenário como forma de ataque à educação. Tal discussão perpassa a partir do contexto social de rompimento da ordem democrática e ascensão de forças reacionárias, representantes de interesses neoliberais.

Downloads

Publicado

2017-12-18

Como Citar

O discurso falacioso do movimento Escola Sem Partido. Revista Pedagógica, [S. l.], v. 19, n. 42, p. 49–65, 2017. DOI: 10.22196/rp.v19i42.4011. Disponível em: http://pegasus.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/4011. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Apresentação do Dossiê