A persistência do trabalho infantil no Brasil e em Portugal e a questão da educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v19i41.3797

Palavras-chave:

Educação Especial. Política educacional. Plano Nacional de Educação.

Resumo

Este artigo aborda a persistência do problema do trabalho infantil em Brasil e em Portugal e a relação com a educação. Percorre as legislações existentes sobre a temática, as políticas e os dados estatísticos nos dois países. Com base em referencial teórico crítico, percebe que embora legislações, políticas sociais e educacionais tentem resolver o problema por meio da escolarização, a sua persistência indica os limites das reformas frente às contradições inerentes ao sistema capitalista.

 

Biografia do Autor

Soraya Franzoni Conde, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação pela UFSC. Professora do Departamento de Estudos Especializados em Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSC. É colaboradora do Programa de Pós Graduação em Serviço Social da mesma universidade. Vice líder do Núcleo de Estudos sobre as Transformações no Mundo do Trabalho (TMT/CED/UFSC).

Downloads

Publicado

2017-08-01

Edição

Seção

ARTIGOS