A comunicação como possibilidade de inclusão de estudantes surdos

Autores

  • Anderson Luchese Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)
  • Tania Mara Zancanaro Pieczkowski Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó) http://orcid.org/0000-0002-5257-7747

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v19i41.3716

Resumo

Constatamos que o termo inclusão vem sendo adotado de forma genérica, suscitando a necessidade de reflexão acerca da complexidade que ele representa. Este texto está alicerçado em estudos do Seminário Educação Especial e Inclusão, no curso de Mestrado em Educação da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ), que promoveu reflexões sobre os movimentos da educação especial à educação inclusiva e processos de in/exclusão. Esta produção articula discussões coletivas do seminário aos estudos para a elaboração de dissertação de Mestrado em Educação, que trata da formação docente para a atuação com estudantes surdos. Este texto visa propiciar reflexões acerca dos direitos dos surdos à acessibilidade educacional, especialmente no que se refere à comunicação. Apesar das boas expectativas decorrentes das mudanças nas concepções da surdez, ainda existem barreiras para o reconhecimento do estudante surdo como um sujeito completo, especialmente em relação à comunicação.

Biografia do Autor

Anderson Luchese, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)

Graduado em Pedagogia, com habilitação em Educação Especial; especialização em Atendimento Educacional Especializado (AEE); e mestre em Educação pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). Professor de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) na Unochapecó; Integrante do grupo de pesquisa Desigualdades Sociais, Diversidades Socioculturais (Unochapecó). Professor efetivo na Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE).

Tania Mara Zancanaro Pieczkowski, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)

Graduada em Pedagogia, especialista em Educação Especial e em Docência na Educação Superior pela Universidade Comunitária Regional de Chapecó (Unochapecó); Mestre em Educação pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Diretora de Ensino na Unochapecó no período de 2009 a 2016. Pesquisadora e professora titular C, no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação na Unochapecó. Líder do grupo de pesquisa Desigualdades Sociais, Diversidades Socioculturais (Unochapecó); integrante dos grupos de pesquisa Ensino e Formação de professores (Unochapecó); e Práticas Educativas e GEPE- Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Especial e Inclusão (GPE) da (UFSM).

Downloads

Publicado

2017-08-01

Edição

Seção

ARTIGOS