Migração e escolarização em uma escola pública em Florianópolis/SC

Autores

  • Henrique de Brito Espinosa Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó
  • Célia Regina Vendramini

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v18i38.3391

Palavras-chave:

Educação contemporânea. Pesquisa em sala de aula. Formação Docente. Atuação Docente

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a incidência de estudantes migrantes no Ensino Médio na E.E.B. Padre Anchieta, em Florianópolis/SC, e compreender como sua condição de migrante interfere no processo de escolarização. A análise teve como base estudo bibliográfico sobre o tema, questionário aplicado aos jovens do Ensino Médio da escola, dois grupos focais, uma entrevista com a diretora e levantamento de documentos e dados da escola. No ano de 2015, existe um elevado número de estudantes migrantes matriculados no Ensino Médio da escola (109 do total de 230 estudantes). Verificou-se que a principal motivação desses estudantes migrantes é a busca de melhores condições de vida e oportunidades de trabalho; entretanto, devido às dificuldades de manutenção de vida na cidade, muitas vezes acabam retornando poucos meses depois de terem chegado a Florianópolis. Todo esse “vai e vem” dos migrantes acaba incidindo diretamente na escolarização desses jovens, pois, além dos problemas relacionados à adaptação na nova cidade, na escola e de terem que conciliar trabalho e estudo para ajudar na renda familiar, muitas vezes retornam para suas cidades no meio do calendário acadêmico.

Downloads

Publicado

2016-11-22

Edição

Seção

ARTIGOS