Psicologia na escola: políticas públicas e intervenção em grupos

Autores

  • Fernando César Paulino-Pereira
  • Juliana Bontempo Faria
  • Heitor Abadio Vicente

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v17i35.3061

Palavras-chave:

Ensino médio. Juventude. Zygmunt Bauman.

Resumo

A participação da psicologia nas políticas públicas tem crescido ultimamente, acompanhada pela construção de seu compromisso social e valorizando a construção de práticas comprometidas com a transformação social. O trabalho realizado por meio de oficinas terapêutico-educativas mostra-se muito eficaz em contextos de ações sociais, principalmente pelo fato de lidar com questões afetivas por meio de vivências que proporcionam a representação de diversas identidades a partir das relações com o seu contexto. Desde modo, o objetivo do presente trabalho consiste em investigar a realidade de alguns grupos na cidade de Catalão-GO e, a partir de observações, acolhimentos e oficinas, realizar intervenções. O espaço para a realização do estágio foi a escola Pedro Netto Paranhos, localizada no Pontal Norte. A demanda inicial apontada pelo presidente do bairro e alguns professores eram problemas com drogas e violências. Foram realizados alguns encontros com turmas da escola utilizando jogo e brincadeiras que fizessem com que os alunos se divertissem e também refletissem sobre temas propostos. Neste contexto, outra demanda se fez presente e refere-se à falta de expressão e perspectivas dos jovens, que foram temas trabalhados em propostas de intervenção.

Publicado

2015-12-22

Edição

Seção

ARTIGOS