Pátria educadora e fechamento de escolas do campo: o crime continua

Autores

  • Celi Zulke Taffarel
  • Antonio Munarim

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v17i35.3053

Palavras-chave:

Iluminismo. Razão. Emotividade. Educação. Conhecimento.

Resumo

O presente texto apresenta evidências do crime contra a classe trabalhadora, com o fechamento de escolas do campo, em meio ao discurso sobre a Pátria Educadora e argumentos sobre a tática a ser desenvolvida para reverter este processo que não permitirá que os problemas do analfabetismo, acesso, permanência, estrutura e financiamento das escolas sejam resolvidos nos próximos anos. O texto parte de uma encomenda ocorrida durante a realização da primeira reunião da Comissão Nacional Pedagógica do Pronera/Incra/MDA, em Brasília-DF, no período de 15 a 18 de julho de 2015, e encomenda do Editor Chefe do presente periódico, sobre o documento estratégico da Secretaria de Assuntos Estratégicos do Governo Federal e o lema adotado pela presidenta Dilma Rousseff em seu segundo mandato – Pátria Educadora. O texto se situa, também, entre os que disputam posições em todos os espaços onde se fizerem necessárias as lutas em defesa das reivindicações dos trabalhadores, organizados em movimentos populares, em especial no campo brasileiro.

Publicado

2015-12-22

Edição

Seção

ARTIGOS