Emotividade versus razão no processo do conhecimento

Autores

  • Balduíno Andreola Centro Universitário La Salle – UNILASALLE

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v16i32.2723

Palavras-chave:

Adolescência. Ações socioeducativas. Rede de Atendimento

Resumo

O Iluminismo, como movimento de idéias,  representou grandes avanços, não apenas nos campos filosófico e científico, mas também na educação, na cultura, na política, na economia e no processo histórico de emancipação humana. Todavia, com a absolutização da razão e do indivíduo, desprezando outras dimensões da existência humana, o Iluminismo promoveu o racionalismo, o individualismo, a competição, a especulação capitalista, o colonialismo, a depredação da natureza, guerras sempre mais violentas, aumento das desigualdades, da pobreza, da fome e da violência,  a tal ponto que numerosos pensadores caracterizam o mundo atual como a anti-civilização da barbárie, e nos desafiam à promoção de outras dimensões do humano, expressas pelas “razões do coração”. Na elaboração deste artigo baseio-me sobretudo nas contribuições do filósofo existencialista russo Nicolas Berdiaeff, em sua obra “Cinco Meditações sobre a Existência”, numa interlocução, porém, com outros pensadores, que dedicaram sua luta histórica à  construção de outro mundo possível, mais humano e solidário. 

Biografia do Autor

Balduíno Andreola, Centro Universitário La Salle – UNILASALLE

Doutor em Ciências da Educação pela Université Catholique de Louvain (Louvain-La-Neuve) – Bélgica (1985). Professor Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente professor do Mestrado em Educação do Centro Universitário La Salle – UNILASALLE de Canoas – RS

Downloads

Publicado

2015-04-07

Como Citar

ANDREOLA, B. Emotividade versus razão no processo do conhecimento. Revista Pedagógica, [S. l.], v. 16, n. 32, p. 81–99, 2015. DOI: 10.22196/rp.v16i32.2723. Disponível em: http://pegasus.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/2723. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS