O PROCESSO DE MERCANTILIZAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO ALTO URUGUAI-RS

Autores

  • Zenicléia Angelita Deggerone Doutoranda em Desenvolvimento Rural Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS Endereço C. Lattes: http://lattes.cnpq.br/3092811041778894Professora AssistenteUniversidade Estadual do Rio Grande do Sul Campus Regional  III - Unidade em Erechim Rua Dr. José Bisognin, nº 242, São Cristóvão - CEP: 99709-418 - Erechim  https://orcid.org/0000-0003-4286-4686
  • Sergio Schneider Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.22295/grifos.v31i56.6596

Palavras-chave:

agricultores familiares, Estado, mercantilização, políticas públicas, produtores simples de mercadorias

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar alguns elementos sócio-históricos que exerceram influência no processo de mercantilização dos agricultores familiares na região Alto Uruguai-RS. O estudo desenvolveu uma abordagem qualiquantitativa, tendo sido realizada uma análise descritiva de dados primários, coletados a partir de entrevistas com atores chaves entre janeiro e abril de 2020 e de informações secundárias, obtidas por meio de pesquisas bibliográficas e documentais. Os resultados deste artigo evidenciam que o Estado, por meio da implementação de mecanismos institucionais (leis, portarias, decretos), políticas públicas de comercialização e de crédito, ofereceu condições para que ocorressem a modernização das atividades produtivas e o crescimento da produção agroalimentar, o que resultou na ampliação do processo de mercantilização. Entre as implicações que esse processo social gerou, os agricultores transformaram-se em produtores simples de mercadorias, mas isso não alterou a condição dessa categoria social, uma vez que as normas, as regras e os valores sociais que regem as relações entre os atores sociais no interior dos grupos familiares não desapareceram em razão da intensificação das trocas.

Biografia do Autor

Zenicléia Angelita Deggerone, Doutoranda em Desenvolvimento Rural Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS Endereço C. Lattes: http://lattes.cnpq.br/3092811041778894Professora AssistenteUniversidade Estadual do Rio Grande do Sul Campus Regional  III - Unidade em Erechim Rua Dr. José Bisognin, nº 242, São Cristóvão - CEP: 99709-418 - Erechim 

Sergio Schneider, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Titular de Sociologia do Desenvolvimento Rural e Estudos da Alimentação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Coordenador GEPAD:www.ufrgs.br/agrifoodBolsista Produtividade em Pesquisa CNPq, PQ1B.

Referências

ABRAMOVAY, R. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. São Paulo: Hucitec, 1992.

ABRAMOVAY, R. et al. Mercados do empreendedorismo de pequeno porte no Brasil. In: Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL). DEPARTAMENT FOR INTERNATIONAL DEVELOPMENT (DFID). Pobreza e mercados no Brasil: Uma análise de inciativas de políticas públicas. Brasília: CEPAL; DFID, 2003.

ABRAMOVAY, R. O futuro das regiões rurais. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN). Matriz de Dados do Crédito Rural (MDCR): Quantidade e Valor dos Contratos de Custeio por Município e Produto. Disponível em:https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/reportmicrrural?path=conteudo%2FMDCR%2FReports%2FqvcCusteioMunicipioProduto.rdl&nome=Quantidade%20e%20Valor%20dos%20Contratos%20de%20Custeio%20por%20Munic%C3%ADpio%20e%20Produto&exibeparametros=true&botoesExportar=trueAcesso. Acesso em: 11 Out. 2020a.

BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN). Matriz de Dados do Crédito Rural (MDCR): Quantidade e Valor dos Contratos de Investimento por Município e Produto. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/reportmicrrural?path=conteudo%2FMDCR%2FReports%2FqvcInvestimentoMunicipioProduto.rdl&nome=Quantidade%20e%20Valor%20dos%20Contratos%20de%20Investimento%20por%20Munic%C3%ADpio%20e%20Produto&exibeparametros=true&botoesExportar=true. Acesso em: 11 Out. 2020b.

CASSOL, A. P. Redes agroalimentares alternativas: mercados, interação social e a construção da confiança. 2013. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

CASSOL, A. P. Instituições sociais e mercados alimentares tradicionais: barganha, preços, variedade, qualidade e consumo em feiras. 2018. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

CONTERATO, M. A. A mercantilização da agricultura familiar no Alto Uruguai/RS: um estudo de caso no município de Três Palmeiras. 2009. 209 p. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

CHIAPARINI, E. J. et al. Erechim: Retratos do passado – Memórias no Presente. Erechim: Graffoluz, 2012.

DAVIS, J. H.; GOLDBERG, R. A. A Concept of Agribusiness. Boston: Harvard University Graduate School of Business Administration, 1957.

FERRARI, D. L. Cadeias agroalimentares curtas: a construção social de mercados de qualidade pelos agricultores familiares em Santa Catarina. 2011. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) – Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

GAZOLLA, M. Cadeias curtas agroalimentares na agroindústria familiar: dinâmicas e atores envolvidos. In: GAZOLLA, M; SCHNEIDER, S. (Org.). Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2017, p. 175-194.

GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Qual "fortalecimento" da agricultura familiar?: uma análise do Pronaf crédito de custeio e investimento no Rio Grande do Sul. Rev. Econ. Sociol. Rural, Brasília, v. 51, n.1, p. 45-68, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010320032013000100003&lng=en&nrm=iso. Acesso em 10 jul. 2021.

GRISA, C. Desenvolvimento local, políticas públicas e meios de vida: uma análise do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, 47, 2009, Porto Alegre (RS), Anais...Porto Alegre (RS): SOBER, 2009.

GRISA, C. As redes e as instituições do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 6, p. 97-129, 2010. Disponível em: https://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/ view/274/193. Acesso em: 30 jan. 2021.

GRISA, C. Políticas públicas para a Agricultura Familiar no Brasil: produção e institucionalização das ideias. 2012. Tese (Doutorado em Ciências) – Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2012.

GRISA, C. et al. Contribuições do Programa de Aquisição de Alimentos à segurança alimentar e nutricional e à criação de mercados para a agricultura familiar. Agriculturas, v. 8, n. 3, p. 34-41, 2011.

GRISA, C. e WESZ JUNIOR, V. Políticas públicas para a agricultura familiar: entre avanços e desafios. Boletim do OPPA, n. 3, 2010.

GRISA, C.; JUNIOR, V. J. W.; BUCHWEITZ, V. D. Revisitando o Pronaf: velhos questionamentos, novas interpretações. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, 52, n. 2, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010320032014000200007&lang=en. Acesso em: 10 jul. 2021.

GRISA, C.; SCHNEIDER, S. Três gerações de políticas públicas para a agricultura familiar e formas de interação entre sociedade e estado no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 52, supl. 1, p. 125-146, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010320032014000600007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 jul. 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTÁTISTICA (IBGE). Pesquisa Agrícola Municipal. Tabela 1612 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção das lavouras temporárias. 2020a. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/3939. Acesso em: 26 Jan. 2020

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTÁTISTICA (IBGE). Pesquisa da Pecuária Municipal. Tabela 74 - Produção de origem animal, por tipo de produto. 2020b. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/74. Acesso em: 26 Jan. 2020

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTÁTISTICA (IBGE). Pesquisa da Pecuária Municipal. Tabela 3939 - Efetivo dos rebanhos, por tipo de rebanho. 2020c. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/3939. Acesso em: 26 Jan. 2020

NIEDERLE, P. A.; WESZ JUNIOR, V. J. As novas ordens alimentares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. 429p.

MALUF, R. S. Segurança alimentar e desenvolvimento econômico na América Latina: o caso do Brasil. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 15, n. 1(57), p. 134-140, 1995.

MALUF, R. S. Mercados agroalimentares e a agricultura familiar no Brasil: agregação de valor, cadeias integradas e circuitos regionais. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 25, n. 1, p. 299-322, 2004.

MATTEI, L. Evolução do crédito do PRONAF para as categorias de agricultores A e A/C entre 2000 e 2010. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, 49, 2011, Belo Horizonte (MG), Anais...Belo Horizonte (MG): SOBER, 2011.

OLIVEIRA, D. Produção de novidades no desenvolvimento rural: o caso da associação dos agricultores ecologistas de Ipê e Antônio Prado/RS. 2014. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

PERONDI, M. A. Diversificação dos meios de vida e mercantilização da agricultura familiar. Porto Alegre. 2007. 237 p. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2007.

PIRAN, N. Agricultura familiar: lutas perspectivas no Alto Uruguai. Erechim: EDIFAPES, 2001.

POLANYI, K. A Grande Transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

PLEIN, C. As metamorfoses da agricultura familiar: o caso do município de Iporã d'Oeste, Santa Catarina. 2003. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

PLOEG, J. D. V. O modo de produção camponês revisitado. In: SCHNEIDER, S. (Org). A diversidade da agricultura familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006. p. 15-58.

PLOEG, J. D. V. ; JINGZHONG, Y.; SCHNEIDER, S. Rural development through Ploeg the construction of new, nested markets: comparative perspectives from China, Brazil and the European Union. Journal of Peasant Studies, London, v. 39, n. 1, p. 133-173, 2012.

REAL, L. C. V.; SCHNEIDER, S. O uso de programas públicos de alimentação na reaproximação do pequeno produtor com o consumidor: o caso do programa de alimentação escolar. Artigo & Debate, Lajeado v. 18, n. 2, p. 57-79, 2011.

SALVATE BRASIL, N. Mercados Imersos: uma nova abordagem sobre a construção social de mercados. 2019. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural). Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019.

SECRETARIA DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E DESENVOLVIMENTO RURAL - SAPDR/RS. Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) no Corede Norte. 2020

SEMINOTTI, J. J. Os agricultores familiares e a representação política do Sutraf na Região Alto Uruguai do RS. Passo Fundo: Editora da UPF, 2014. Disponível em: http://editora.upf.br/images/ebook/a_dinamica_sociopolitica.pdf. Acesso em: 10 nov. 2020.

SCARBELOT, M. Construção de cadeias agroalimentares curtas em Nova Veneza, SC. 2012. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Rural). Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

SCHNEIDER, S. Pluriatividade na Agricultura Familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS. 2003.

SCHNEIDER, S. Mercados e agricultura familiar. In: MARQUES, F. C.; CONTERATO, M. A.; SCHNEIDER, S. (Org.). Construção de mercados e agricultura familiar: desafios para o desenvolvimento rural. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2016. p. 93-135.

SCHNEIDER, S.; SALVATE, N.; CASSOL, A. Nested Markets, Food Networks, and New Pathways for Rural Development in Brazil. Agriculture, v. 6, n. 4, p. 1-19, nov. 2016.

SERPA, I. M. Da produção colonial ao sistema agroindustrial: a modificação do perfil produtivo da região de Chapecó (1920-1980). 2014. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2014.

SILVA, G. P. A construção social dos circuitos curtos de comercialização e consumo de alimentos: a emergência de novas institucionalidades. 2016. Tese (Doutorado em Extensão Rural) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016.

TASCA, E,; DEGGERONE, Z.A; PARIS, C. A. O fortalecimento da agricultura familiar no território Alto Uruguai (RS): implementação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Grifos, Chapecó, v. 29, n. 50, p. 103-125, 2020. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/grifos/article-/view/5238. Acesso em 6 jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.22295/grifos.v29i50.5238

TRICHES, R. M. Reconectando a produção ao consumo: a aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar para o programa de alimentação escolar. 2012. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

TRICHES, R. M. Repensando o mercado da alimentação escolar: novas institucionalidades para o desenvolvimento rural. In: GRISA, C.; SCHNEIDER, S. (Org.). Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2015. p. 181-200.

WESZ JUNIOR, V. J. O Pronaf pós-2014: intensificando a sua seletividade? Grifos, Chapecó, v. 30, n. 51, p. 89-113, 2020. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/grifos/article/view/5353. Acesso em 7 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.22295/grifos.v30i51.5353

WILKINSON, J. Mercados, redes e valores: o novo mundo da agricultura familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

ZANELLA, A. A Trajetória do Sindicalismo no Alto-Uruguai Gaúcho (1937-2003). Passo Fundo: UPF, 2004.

Publicado

2021-12-17

Edição

Seção

Artigos