Agricultura e financiamento público: apontamentos para um debate necessário

Autores

  • Eliziário Noé Boeira Toledo

DOI:

https://doi.org/10.22295/grifos.v27i45.4443

Palavras-chave:

Idade Média, crise de paradigmas, filosofia cartesiana

Resumo

O artigo analisa o papel desempenhado pelo Estado no financiamento da agropecuária e do meio rural por meio da alocação de recursos financeiros oriundos do orçamento da União, sugerindo o contínuo abandono dessa função e que, segundo alguns autores, essa opção vem sendo caracterizada como a saída “à francesa” do Estado, expressão do novo padrão de desenvolvimento agrário e agrícola, ao secundarizar as suas funções no segmento agropecuário. Aborda ainda o papel desempenhado pelos mediadores políticos da agricultura no tocante aos processos de elaboração e negociação na alocação dos recursos do orçamento da União, a fim de atender as necessidades de financiamento das políticas públicas. Foi possível inferir pela literatura utilizada, o contínuo abandono do Estado em financiar o segmento agropecuário.

Biografia do Autor

Eliziário Noé Boeira Toledo

Sociólogo, mestre em desenvolvimento rural e doutor em desenvolvimento sustentável, mestradno em ciêcnia e tecnologia ambiental.

Areas de agricultura, meio ambiente, política agricola.

Publicado

2018-12-21

Edição

Seção

Dossiê Questões Rurais e Políticas Públicas