O círculo vicioso da pobreza no Brasil: uma análise da estratégia do programa bolsa família nos municípios do Corede do Vale do Rio Pardo

Autores

  • Bruna Taize de Medeiros Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA)
  • Cidonea Machado Deponti Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
  • Rosane Bernardete Brochier Kist Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

DOI:

https://doi.org/10.22295/grifos.v26i42.3352

Palavras-chave:

Biografia, Desenvolvimento Profissional, Formação de Professores.

Resumo

O Brasil, apesar de ser uma das maiores economias do mundo, apresenta ainda grandes desigualdades socioeconômicas. Como estratégia de combate à fome e à pobreza foi criado, em 2003, o Programa Bolsa Família, que em 12 anos conseguiu retirar mais de 36 milhões de pessoas da situação de miséria e pobreza. O objetivo principal deste artigo é analisar se o Bolsa Família contribuiu para reduzir o círculo vicioso da pobreza destacado pelo economista Gunnar Myrdal (1997) em sua abordagem teórica sobre o desenvolvimento. No que se refere às questões metodológicas deste artigo, realizou-se uma pesquisa documental acerca da teoria de desenvolvimento de Myrdal (1997), juntamente com uma análise descritiva baseada em dados secundários do Programa Bolsa Família em nível regional no Conselho Regional de Desenvolvimento (COREDE) do Vale do Rio Pardo. Constatou-se que o Bolsa Família pode contribuir para corromper o círculo vicioso da pobreza que Myrdal (1997) retrata em sua teoria, pois contribui para à redução da fome e da desnutrição, visto que grande parte dos benefícios é utilizada para o atendimento das necessidade básicas das famílias, especialmente da alimentação. Evidenciou-se, ainda, que os dados analisados indicam que há uma possibilidade de o Bolsa Família contribuir para o processo de erradicação da extrema pobreza no país e na quebra do seu círculo vicioso, caso os resultados do Programa apresentem o mesmo desempenho identificado na última década. Por fim, embora se reconheçam os inúmeros benefícios deste programa, há que se considerar, ainda, a necessidade de articulação do Programa Bolsa Família com outras políticas públicas. 

Biografia do Autor

Bruna Taize de Medeiros, Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA)

Mestra em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul (PPGDR/UNISC). Professora do Curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA).

Cidonea Machado Deponti, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul (PPGDR/UNISC).

Rosane Bernardete Brochier Kist, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Pós-Doutoranda Bolsista DOCFIX – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS). Professora do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul (PPGDR/UNISC).

Publicado

2017-09-15

Edição

Seção

Artigos