Manutenção versus Conservação: a criação do Parque Florestal em Chapecó

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22562/2020.52.03

Palavras-chave:

Espaço urbano. Formação histórico-geográfica. Desigualdades socioespaciais. Áreas residenciais. Condições de vida.

Resumo

A partir do século XX, a região oeste do estado de Santa Catarina vivenciou um período de maior interferência humana na configuração do meio ambiente. O presente estudo tem como objetivo analisar os processos de transformações ambientais que levaram à criação do Parque Florestal João Goulart, na década de 1960, em Chapecó. Partindo da abordagem proposta pela História Ambiental, utilizase como fontes periódicos regionais e outros documentos relativos ao processo de criação do Parque Florestal. Na região, o setor madeireiro teve grande destaque econômico desde o início da colonização, porém o crescimento do desmatamento ocorreu paralelo às grandes acelerações. Além disso, outro fator responsável por intensificar o desmatamento foi a abertura de novas áreas para os cultivos agrícolas e a criação de animais. A preocupação levantada pelos desmatamentos levou à implementação de medidas institucionais, como a criação de Parques Florestais no Brasil. Entretanto, a atuação dos parques esteve ligada principalmente à manutenção de atividades econômicas em detrimento a conservação.

Biografia do Autor

Samira Moretto, Universidade Federal da Fronteira Sul

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007), mestrado em História pela mesma Universidade (2010), doutorado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014), com período sanduíche na California State University, Long Beach (2013). Atualmente é professora efetiva do Curso de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal da Fronteira Sul. Coordena, atualmente o Programa de Pós-graduação em História da PPGH/UFFS. Faz parte do Grupo de Pesquisa do CNPq: Laboratório de Imigração, Migração e História Ambiental, UFSC. Pesquisadora dos seguintes temas: História Ambiental, Domesticação e Introdução de espécies vegetais, Desmatamento, Reflorestamento e Conservação da Biodiversidade.

Michely Cristina Ribeiro

Graduanda em História pela Universidade Federal da Fronteira Sul. Bolsista de iniciação científica do CNPq.

Publicado

2020-06-17