A colonização da rodovia Transamazônica e os desafios de adaptação: um estudo a partir da comunidade Carlos Pena Filho

Autores

  • Aldizio Ribeiro dos Santos Universidade Federal do Pará - UFPA
  • César Martins de Souza UFPA
  • José Valtemir Ferreira da Silva UFPA

DOI:

https://doi.org/10.22562/2020.52.07

Resumo

O presente artigo tem como propósito o estudo dos desafios de adaptação dos colonos que migraram para a Amazônia por ocasião da construção da rodovia Transamazônica (BR-230), na década de 1970, durante o governo do General-Presidente, Emílio Garrastazu Médici. Entre sonhos e frustações esse projeto mudou a vida de famílias que vieram em busca de uma situação melhor, da conquista de uma terra para plantar e de uma casa para morar às margens da rodovia em construção. Nessa perspectiva, este estudo terá como foco a agrovila Carlos Pena Filho, implantada no traçado da Transamazônica na década de 1970, mais precisamente nas proximidades do que hoje é a cidade de Brasil Novo, no sudoeste paraense. Delimita-se para este estudo os desafios vivenciados pelos colonos migrantes da referida agrovila quanto a infraestrutura, moradia e educação. Para sua consecução, foram feitas entrevistas com moradores da agrovila Carlos Pena Filho e conversas com moradores de outras localidades da Transamazônica, com o subsídio de fontes bibliográficas e documentais que se remetem ao evento histórico, com vistas a proporcionar uma discussão de forma a dialogar sobre as questões expostas pelos colonos.

Biografia do Autor

Aldizio Ribeiro dos Santos, Universidade Federal do Pará - UFPA

Graduação em Códigos e Linguagens ( UFPA )

Mestrando em Linguagens e Saberes da Amazônica (UFPA)

Publicado

2020-06-17